A dublagem dos games

Com a recente divulgação do trailer de Uncharted 3, para PS3, que trazia a versão dublada em português do Brasil, os fãs da série e os gamers brasileiros em geral não pouparam esforços para criticar o estilo da dublagem. Muito foi falado, inclusive de que a Naughty Dog teria recusado uma sample dublado por um estúdio brasileiro, porém nada foi confirmado. Por esse motivo que tomei coragem para escrever sobre algo um tanto quanto delicado: a dublagem brasileira.

Muito criticada até hoje, a dublagem realizada pelos estúdios brasileiros sempre foi alvo dos fãs de desenhos, séries e filmes, acostumados a verem adaptações ruins, mudança de conteúdo ao passar para o português falado, além das grotescas adaptações em colocar o conteúdo como algo brasileiro, ou será que todo mundo já esqueceu que Acapulco virou Guarujá, nos episódios do Chaves?! Crescemos com aquela dublagem limitada pela tecnologia da época e que muito foi criticada, porém que faz parte da infância de muitos dos cidadãos pixelados; vozes conhecidas, atores americanos com trejeitos brasileiros, personagens de desenhos já familiarizados pela voz, etc. Uma coisa que todos precisam entender é: a dublagem brasileira é considerada uma das melhores do mundo. Pude ter contato e trabalhar ao lado de alguns dubladores, o que me fez ver o empenho dos artistas (sim, dublador precisa primeiro ser um ator) e o cuidado dos estúdios, porém os games, mesmo em 2011, estão recebendo o cuidado que tínhamos lá em 1980.

Quando falo da década de 80, não estou me referindo às limitações técnicas, o que hoje facilita o trabalho de muita gente, mas estamos caindo no descaso das empresas produtoras responsáveis, além dos licenciadores brasileiros, que muitas vezes surgem como os grandes culpados. Se antigamente não tínhamos o cuidado com tradução e adaptação, sempre caindo na opção do mais barato e mais rápido, hoje ainda temos esse mesmo problema. Muitas empresas optam pela (famosa) dublagem realizada pelos brasileiros em Miami somente pelo preço e rapidez, fora da falta de burocracia que a empresa contratante precisará enfrentar. Não que os estúdios brasileiros não consigam ser rápidos ou de menor custo, mas a diferença territorial e as fronteiras existente ainda são vistas como empecilhos para muitas empresas internacionais.

Precisamos pensar que a dublagem de games está começando, como se fosse uma dublagem dos anos 70 e 80, na televisão brasileira, ou seja, ela precisará de tempo para se aprimorar e tornar digna de elogios. Tudo leva tempo, não seria diferente para uma iniciativa para favorecer aos gamers. Além do mais, já tivemos casos em que a dublagem foi satisfatória e em outros a simples presença da legenda já supria a falta do português.

Se um dia já tivemos a tradução pobre e a adaptação medíocre, hoje temos um dos melhores pólos de dublagem, principalmente quando se trata de um material em inglês ou japonês. O dublador brasileiro se especializou nesse assunto, porém ao se especializar e se tornar um nicho de mercado, contratá-lo nem sempre será tão fácil quanto um dublador da Flórida. Posso falar o nome de vários artistas que hoje realizam um trabalho impecável e excelente, muito consumido sem ao menos vocês saberem quem eles são.

Na minha humilde opinião, acho que os fãs brasileiros não devem xingar ou se revoltar com os estúdios brasileiros ou até mesmo questionar a qualidade da dublagem brasileira (ouçam a dublagem japonesa para verem a falta de sincronia e a européia para notarem o que é falta de interpretação), mas sim irem direto nas produtoras e licenciadoras. Se mobilizem, sim, colocando a opinião de vocês no mundo, mas saibam como falar e a quem direcionar as críticas.

Compartilhe a Cidade

Post Author: Rafael Nery

1) Geminiano e Nerd 2) Adoro usar xadrez 3) Amante de quadrinhos, games, filmes e desenhos 4) Estudioso da cultura japonesa 5) Viciado em literatura fantástica