Sua Morada Pixelada

Resenha: Attack on Titan: Fim do Mundo

O rosto dos Titãs não sai da minha mente, assim como todo o sangue derramado na tela. Assisti o filme “Attack on Titan: Fim do Mundo” (2018) a convite da Sato Company, e gostaria de compartilhar com vocês algumas impressões.

Esta é a continuação de “Ataque de Titãs”, live action de 2015 e não vá ao cinema pensando que assistirá a um filme apenas de ação, mas um longa metragem que envolve outros gêneros, como terror e drama. O que atrai neste longa, que é a adaptação do anime “Shingeki no Kyojin” (Ataque de Titãs), é ser pesado e não economizar nas mortes e no gore. Um dos maiores exemplos (maiores mesmo!) é a aparência de alguns titãs que não têm a pele.

Será que o público sentia falta dessas produções com aquela antiga pegada de matar personagens sem nenhum receio?

O fato é que o primeiro filme teve um bom desempenho e, de acordo com a imprensa japonesa, a bilheteria arrecadou 600 milhões de Yens logo no final de semana de lançamento. O que nos leva a produção de sua continuação e seu posterior interesse da distribuidora Sato Company em fechar parcerias com diferentes redes de cinemas para exibição do longa no Brasil.

Lutando contra gigantes

O enredo sofreu algumas alterações na história, na construção dos personagens e ausência de outros. Se você acompanhou o anime e o jogo, vá ao cinema com a mente aberta para essas adaptações (por isso, não falaremos aqui sobre o anime o jogo desta vez, ok?).

A história central gira em torno de Eren Yeager, morador de cidade cercada por muralhas enormes construídas para proteger manter os Titãs longe. Estas criaturas gigantescas surgiram há mais de um século e fizeram uma carnificina ao redor do mundo.

Quando um titã maior que o normal causa uma abertura na muralha, um grupo de gigantes entra na cidade e destrói boa parte dela. Os sobreviventes, então, começam a buscar maneiras de recuperar seu território e restabelecer sua vida, além de descobrir o motivo do ataque dos titãs.

Há muitos furos no enredo e algumas coisas ficam sem explicação. Há coisas que foram citadas e ficaram no ar. Será que fizeram de propósito para outra continuação?

Efeitos especiais, trilha sonora e os titãs

Os efeitos especiais são incríveis, ainda mais quando os titãs estão em cena! Porém, em alguns momentos, o sangue incomoda um pouco pelo fato de serem inserções digitais, o que deixa a cena muito artificial. As cenas de ação são bem-feitas e estão de acordo com o que vimos no anime.

A trilha sonora acompanha os momentos de ação e tensão. Ela acompanha a história tem um papel importante para te ajudar a seguir os acontecimentos, conflitos e momentos de “vai dar tudo errado agora!”.

Agora vamos falar dos personagens que dão nome ao filme: os titãs. Eles são criaturas gigantes, sem sexo definido e com corpo desproporcional. Eles atacam e comem os humanos e são extremamente fortes. Porém, mesmo sendo muito fortes, têm um ponto fraco na nuca.

Seus rostos, como mencionado no início do texto, são assustadores e inspiram medo, assim como, o jeito como se locomovem. Ao longo do filme, outros titãs surgem e estes parecem não ter a pele e parecem que vão explodir, pois soltam fumaça e algumas partes de seus corpos brilham. Não vou dizer aqui quem são para não estragar a diversão!

Claro que há muito mais para ser falado sobre estes estranhos personagens e sobre suas origens, pois nas outras mídias onde eles estão presentes podemos encontrar outros tipos de titãs.

A história de Attack on Titan pode gerar inúmeras reflexões e serve como uma analogia para a luta entre povos diferentes que lutam pela posse de terras e pela sobrevivência. O texto do filme é realmente muito bom e traz alguns questionamentos sobre o nosso modo de vida atual e como pode ser perigoso viver sob uma falsa paz e sendo controlado por um governo centralizador.

 

Título original: Shingeki no Kyojin Endo Obu za Wârudo
Título no Brasil: Attack on Titan: Fim do Mundo
Gêneros: Fantasia, Ação, Ficção, Terror, Drama
Duração: 87 min
Estreia no Brasil:  22 de Maio de 2018
Classificação indicativa:  maiores de 16 anos
Diretor: Shinji Higuchi
Roteirista: Tomohiro Machiyama Yûsuke Watanabe

 

Jornalista que gosta de joguinhos e zumbis. Filha do Wolverine com a Mulher-Maravilha. Casada com gamer-otaku e mãe de um Lord Sith.

Compartilhe a Cidade

Comments

comments

%d blogueiros gostam disto: