Fábrica Gamer – Analisando games parte 2

E estamos de volta com mais um tour pela nossa Fábrica Gamer. Semana passada eu dei a dica para vocês de como analisar um jogo quando não se tem nenhum recurso a mão, no máximo caneta e papel, quando estivem no carro ou no ônibus voltando das férias. Mas agora que já sabemos os básicos da análise, que tal então passamos para o próximo passo. Esse poderia ser feito para aqueles que passaram suas férias em casa.

Quanto consoles você tem em casa? Isso inclui plataformas domésticas, portáteis e computadores. Eu pergunto isso, pois agora não vamos analisar exatamente um jogo, mas pelo menos três. Isso mesmo. Agora expandimos as coisas e vamos tentar entender características de diferentes jogos em diferentes plataformas. É como se agora o objetivo fosse fazer a mesma análise da semana passada em mais de um jogo e depois cruzar informações.


Vamos começar com o PS3. O jogo será o Little Big Planet 2. Vocês já sabem fazer a análise individual deste game. Mas agora vamos pensar em outra coisa. Vamos compará-lo ao primeiro game da série. Que tipos de evoluções houveram nas mecânicas do primeiro para o segundo? Houve alguma mudança no jogo? Que tipo de recursos o jogo usa do console?

Agora vamos pular para o Wii e o jogo que saiu junto com o aparelho aqui no ocidente: Wii Sports. Que tipo de jogabilidade tem esse jogo? Qual é o objetivo dele? Vamos comparar também os recursos do jogo com relação aos diponíveis na plataforma. Ele usa muito ou pouco dos recursos do Wii. Existem jogos semelahantes a ele neste console ou em outros?

Agora que já fizemos uma rápida análise do Wii Sports, vamos comparar ao Little Big Planet 2. Qual é a semelhança entre os jogos? Podemos ver que eles tem um apelo mais para a diversão. Parecem ser jogos mais simples, sem grande gráficos. Mas então quais são as diferenças? Podemos dizer que eles têm público-alvo semelhante, mas não existiria alguma diferença entre esses públicos? Isso deve ser analisado.

Bom, vamos agora para o terceiro game. No PC, que tal uma partida de Team Fortress 2? Vamos fazer as mesmas análises que fizemos anteriomente. Vamos comparar também com o jogo anterior, Team Fortress. O que mudou? E ele em relação a outros jogos do gênero na mesma plataforma, quais são as diferenças? É um jogo divertido que vale a pena ter?

Agora vamos fazer a comparação do Team Fortress com os demais jogos? Podemos ver que eles tem de semelhante o fato de não se preocuparem com gráficos realistas e de quererem ser jogos acima de tudo divertidos. Esses jogos são para jogadores casuais ou hardcores? Eles visam mais a experiência single player ou multiplayer? Isso são questões importantes.

Vamos imaginar que estamos fazendo um jogo multiplataforma que visa ter gráficos mais simples e/ou bonitos e que a primeira impressão dele seja o foco na diversão. Essa análise que fizemos seria uma boa forma de avaliar como as várias plataformas apresentam jogos com essas características. Isso é muito útil para saber em que direção seguir. Com isso poderia até ser retirado alguns consoles do escopo do projeto, se fosse achado que o jogo que estamos criando não encaixasse com a proposta do videogame. Outra análise que poderíamos ter feito seria se tivéssemos que fazer um jogo FPS. Assim avaliaríamos diversos outros games do gênero no mercado, como Team Fortress 2, Counter Strike, entre outros.

Espero que essas dicas tenham ajudado a entenderem um pouco mais de um trabalho essencial para o desenvolvimento de um jogo. Essa análise é importante antes de iniciar um projeto para que possamos saber como fazer melhor, visando os jogadores que já estão inseridos em um mundo onde esses jogos já existem. Bom, espero vocês na próxima semana aqui na Fábrica Gamer. Até lá.

Baixe e jogue gratuitamente Team Fortress 2

Compartilhe a Cidade

Post Author: Cidade Gamer

Sua Morada Pixelada, podcasts de games, vídeos, colunas, matérias textos, notícias e muito bom humor!