Desenvolvedor de Terraria vê abertura em mercado de consoles e avança para cima


Jogos sandbox estilo Minecraft estão fazendo fortuna na Xbox Live, a edição para a Live Arcade de Minecraft vendeu mais de 4 milhões de cópias em menos de 5 meses. E na Live Indie Games, disponível somente na Live gringa, CastleMiner Z vendeu mais de um milhão de unidades, enquanto FortressCraft já arrecadou mais de um milhão de dólares em vendas.
Além da Microsoft Studios ajudar a trazer Minecraft para a XBLA, nenhuma publisher ou desenvolvedoras de grande escalão tentou faturar na tendência, pelo menos em consoles. A Epic está criando sua tirada no gênero com Fortnite, mas até o momento só sairá para o Windows.

“Não tenho certeza do porque os grande estúdios e desenvolvedores para consoles não adotaram a idéia de sandbox ainda,” disse Andrew Spink da Re-Logic, uma das duas cabeças por trás de outro hit sandbox para PC, Terraria. “Parece que somente equipes indies ou menores irão adotá-la.”

A publisher 505 Games vê potencial para atingir um grande público em consolesque está na espera por mais jogos como esse e notou o público fiel de Terraria, por isso assinaram o contrato para portar Terraria para o XBLA e a PSN já no início do próximo ano, escalando a Engine Software para produzir os ports.

Como Minecraft, Terraria teve bastante sucesso no PC, vendendo mais de 1.6 milhões de cópias desde o lançamento em Maio de 2011, com pouca publicidade além do boca a boca. Nada mal para um projeto criado por somente duas pessoas.

O jogo foi feito com os ports em mente, assim fazendo dele mais interessante para publishers interessadas. “A idéia de disponibilizar Terraria na XBLA sempre esteve na minha cabeça. Esta foi uma das razões que eu escolhi programar com C#, e a Microsoft XNA,” explica Spink.

A 505 propôs à Re-Logic sobre adaptar Terraria para os consoles antes até de Mojang lançar Minecraft na XBLA, mas a publisher certamente foi encorajada pelo desempenho do Minecraft. “É difícil não notar o quão bem o Minecraft se deu na XBLA, e para nós será definitivamente interessante ver como tudo se sai na adaptação,” diz John Merchant o gerente de mercado global da 505.

E não é só na XBLA que a 505 se anima. Merchant aponta que essa será a primeira experiência de jogos de montagem de blocos na PSN, então tem uma oportunidade para a companhia explorar um público novo.

Ele acrescenta que o gênero é atraente às publishers quando eles olham aos sucessos mencionados, mas Merchant não acha que as companhias devem simplesmente pular para um clone pé de chinelo ou um título genérico, “Não é um gênero fácil de funcionar e quando você considera que está entregando uma infinidade de possibilidades de construção e aventura.”

Terraria não é um jogo sandbox que deve ser confundido com os vários clones do Minecraft, pois é um jogo 2d com gráficos inspirados nos RPG da era 16-bit ao invés dos blocos 3d de Minecraft. Merchant compara a sensação dos jogos como Metroid e Castlevania, o qual ele acredita que deve tranmitir a sensação de Terraria nos consoles.

A proposta e sensação diferenciada, além do foco no multiplayer de Terraria, a reputação da Re-Logic de dar ouvidos à comunidade e alterar o jogo de acordo e já possuim uma base de fãs leais ao título, convenceu a 505 que se aliar à Re-Logic seria um plano melhor que escolher um jogo qualquer no estilo Minecraft.

Tanto Spink e a 505 esperam que mais publishers estão começando a prestar mais atenção à esse estilo de jogos e estão procurando por outros títulos similares indies ou de estúdios pequenos para assumir os lançamentos digitais. Eles talvez terão que olhar melhor para achar um jogo de sucesso.

“Sem dúvida que outras publishers irão tentar emular o sucesso de outros jogos sandbox, mas de qualquer jeito você têm que ter o apoio da comunidade por trás do seu projeto e você também tem que ter aquele algo especial em termos de jogabilidade,” diz Merchant. “Os consumidores estão bastante sagazes para algo que pode ser fogo de palha.”

Fonte: http://www.gamasutra.com/

Post Author: Victor Haratani