Fábrica Gamer – Jogos em rede

Bem-vindos de volta à Fábrica Gamer. Estamos aqui trabalhando para ajustar a nossa rede. Então pensei que tal falarmos um pouquinho hoje sobre jogos em rede? Quando que começou isso que é atualmente algo tão normal no dia-a-dia gamer.

Primeiro eu gostaria de explicar uma diferença. Jogos em redes e jogos multiplayer, embora sejam coisas que andem juntas, são diferentes. Games em rede são envolve a conexão de dois ou mais consoles interligador por rede e não precisa envolver a interação entre os jogadores. Por exemplo, um jogo que tem um scoreboard online, mas que o gameplay é single palyer e apenas registra os scores de quem joga seria em rede sem o multi jogador.

Um jogo multiplayer requer ter vários jogadores competindo ou agindo de forma cooperativa no mesmo game. Os jogadores podem usar o mesmo console de forma revezada ou simultânea. Basicamente os jogos que permitiam “jogar de dois” são multi jogadores sem ser jogos de rede. Porém como eu disse anteriormente, esse dois conceitos costumam andar juntos e não apenas os jogos atuais misturam os dois conceitos, como os primeiros games do tipo também.

Games em rede começaram a surgir nos anos 70 e 80. Os primeiros foram os PLATO, plataformas de interação com usuários, usando conexão via terminais em um mainframe através de telnet. As formas de comunicação usadas era chat e e-mail. Esses eram jogos multiplayer. Podemos citar aqui o Empire, que era simulação espacial com várias naves, e Airflight, uma espécia de percursor do Flight Simulator.

Os MUDs (MultiUser Dungeos) foram criados originalmente por alunos de computação e era jogado dentro de servidores das faculdades. Eles consitem de ambientes onde há a interação de vários usuários que permitia a criação de personagens, a movimentação pelo mundo, a interação dos personagens e outros elementos, como quebra-cabeças, armadilhas e magias. Os comandos era todos em texto usando verbos e substantivos, como Go North ou Open Chest.

Posteriormente tivemos o começo das redes em PCs com o advento dos modens. A hospedagem de games começou nos anos 80 com empresas fazendo esse trabalho e cobrando taxas mensais. Temos aqui o Mega Wars I, jogo multiplayer que suportava até mil jogadores simultaneamente e seu custo variava de 5 a 22 dólares a hora. Afinal, era novidade na época.

A seguir temos os FPS. Eles se utilizaram muito das características dos jogos em rede e suportavam diversos usuários ao mesmo tempo. Os modos de jogos mais comum são o capture the flag e o death match, também conhecido por “mata-mata”. Começaram com Doom em 1993 e Doom II no ano seguinte. Como os primeiros jogos do gênero a ser em rede, não suportavam muitos jogadores. Doom I suportava até 4 jogadores e Doom II até 8 simultaneamente. Os modos disponíveis eram o cooperativo e o clássico death match. A arquitetura usada inicialmente era P2P, sendo cada máquina com uma cópia do game.

 

Outro gênero muito famoso por ser em rede e multiplayer é o RTS (Real Time Strategy). O primeiro jogo multi jogador online desse tipo foi o Warcraft em 1994, mas permitia apenas 2 jogadores em LAN. No ano seguinte teve o lançamento de Command & Conquer que permitia 4 players e Warcraft II que permitia até 8 e também era possível jogar através da internet através do software Kali.

 

Bom, como estamos falando de jogos em redes, não podemos deixar de citar os famosos MMORPGs, que podem ser definidos basicamente como MUDs gráficos com mais funcionalidades. O objetivo desse gênero é a criação e evolução de personagens. Usam arquiteturas de cliente/servidor com diversos servidores fazendo o gerenciamento do mundo que é permanente, o que exige uma alta escalabilidade e tolerância a falhas, além de um bom balanceamento de carga entre os servers. O modelo de cobrança usado é mensal, voce paga para jogar naquele período de tempo. Não vou entrar em exemplos, pois temos hoje em dia diversos jogos do gênero, como o da imagem abaixo.

 

Para finalizar essa breve passada pela história dos jogos em rede, vou deixar algumas dicas dadas pelo meu professor Tiago Ferreto para quem pensa em desenvolver jogos, já que hoje em dia é quase um pré-requisito um game ter o multiplayer. Primeiro, mantenha os jogadores desafiados (desafio diferente de frustração). Segundo, suporte diferentes estilos de jogos. Terceiro, IA eficiente, interface amigável e bom suporte a rede. Para finalizar, lembre-se: Quanto maior o ganho dos jogadores pela desgraça dos outros, menor será a interatividade social do game.

Compartilhe a Cidade

Post Author: Cidade Gamer

Sua Morada Pixelada, podcasts de games, vídeos, colunas, matérias textos, notícias e muito bom humor!