Programador de jogos

Fábrica Gamer – Programação Parte 2

Programador de jogos

Olá novamente, meus caros visitantes. Seguindo com a proposta de falarmos mais sobre os assuntos da área de desenvolvimento de jogos, hoje resolvi retomar um assunto que já foi falado por cima algum tempo atrás, que é a programação. Então, vamos lá!

Para começarmos, vou falar um pouco dos níveis de programador: tem o programador mais básico, chamado normalmente de júnior. Em uma empresa, esse cara é aquele profissional que está começando. Acima dele temos o programador pleno, que é uma pessoa que sabe mais de programação e esse será o que veremos em maior número em uma equipe de desenvolvimento. Esses serão os profissionais que trabalharão com a IA do jogo. Por fim, temos o programador pleno, que é o cara que sabe muito de programação e também sabe muito da engine que está sendo usada, tendo como função auxiliar toda os membros da equipe de programação.

Para aqueles que querem se tornar programadores de jogos é importante saber bem o paradigma de Orientação a Objetos (OO), pois todas as empresas de desenvolvimentos usam a OO para fazer os seus games. E é preciso saber além da parte teórica, aplicando-a na prática.

Outro conhecimento que o programador deve ter são os padrões de projetos. Eles são muito úteis e são usados bastante nos jogos. Neste link do site ‘Abrindo o Jogo’ estão vários padrões de projetos analisados por eles. Aproveitando também o exemplo citado por eles, o game Braid é um exemplo de uma aplicação do padrão de Memento, que permitiria fazer um efeito de voltar no tempo e voltar todos os elementos para onde estavam em um estado anterior.

Padrões de Projetos em Braid
Clique na imagem para ampliar

Aproveitando que citei o ‘Abrindo o Jogo’, existe um outro post deles com 10 dicas para se tornar um bom programador (clique aqui para acessar). Vou citar aqui um ponto que considero importante, que é o seguinte: conheça um pouco de C++. Nos dias atuais, existem diversas linguagens para se usar no desenvolvimento. Porém, antigamente, C++ era praticamente a linguagem padrão dos jogos, então é bom ter conhecimento dela. Não é necessário ser um profissional de C++, até porque é uma linguagem um pouco mais complexa (por ter muitas bibliotecas), mas é importante saber um pouco.

Bom, ficamos por aqui essa semana. Para quem quer programar jogos, deixo aqui mais uma dica: estude bastante linguagens e tecnologias. É tendo esse conhecimento a mais que você vai conseguir se diferenciar no mercado para, então, conseguir boas oportunidades de trabalho e poder fazer jogos que você vai gostar!

Compartilhe a Cidade

Post Author: Cidade Gamer

Sua Morada Pixelada, podcasts de games, vídeos, colunas, matérias textos, notícias e muito bom humor!