Fábrica Gamer – Programação

Olá, pessoas. Que tal falarmos um pouco de uma das partes mais importantes do desenvolvimento de um game: a programação. Vamos falar dela desde o princípio. Hora de voltar no tempo.

Já repararamm como haviam poucas pessoas envolvidas na produção de um jogo na era 8-bits? Alguns jogos eram feitos por meia dúzia de pessoas. Vocês podem notar que nos créditos havia uma pessoa creditada como programador na maioria dos casos. Com certeza fazer um jogo não era fácil naquela época, porém devido as limitações técnicas, a complexidade era menor, então um número menor de pessoas era necessário para fazer o trabalho.

Na geração seguinte continuamos com um pequenos grupo de programadores, mas o trabalho já ficou mais complexo para uma pessoa apenas. Foi nessa geração que começaram também as primeiras tentativas de fazer jogos comerciais em 3D. Essa mudança de paradigma trouxe várias mudanças para a programação. Em 2D, o programador só tinha que se preocupar em basicamente mover o personagem em oito direções e trabalhar com sprites, os “desenhos” em duas dimensões que são os personagens. Já com o advento das três dimensões, o que eram oito direções cardinais passaram a ser uma intereção em 360 graus. Além disso os sprites foram trocados por modelos 3D.

Clique na Imagem para ampliar

Embora possa parecer, a programação em terceira dimensão não é necessariamente mais difícil que a anterior, é apenas diferente. É claro que podemos dizer que é mais complexa na questão de possibilidades do que fazer. O que é na verdade algo bom. Quanto mais possibilidades de coisas a serem feitas, melhor para quem está desenvolvendo o game. Tanto é isso que muitos dos jogos com jogabilidade 2D que vemos são feitos em 3D, apenas com a câmera fixa e com o gameplay igual aos jogos mais antigos.

Falando desse tema, é inevitável mencionar que para programar fazemos o uso de engine, assunto esse já abordado aqui na Fábrica. Temos algumas muito famosas como a Unreal Engine, utilizada em diversos jogos no mercado. A Cry Engine, da CryTek, usada para fazer os belíssimos jogos como Crysis, que usa muito da máquina em que está rodando. A Unity também é uma engine bem famosa hoje em dia. Para quem tiver a oportunidade, sugiro que dêem uma olhada, pois vale a pena.

Clique na Imagem para ampliar

Para finalizarmos nosso papo de hoje, gostaria de dizer que para aqueles que pretendem serem programdores de jogos, que gostem de programar, pois hoje em dia a complexidade dos jogos exige que eles sejam bem feitos e gostar do que faz é o ideal para se alcançar bons resultados.

Compartilhe a Cidade

Post Author: Cidade Gamer

Sua Morada Pixelada, podcasts de games, vídeos, colunas, matérias textos, notícias e muito bom humor!