Gamer e com orgulho

Este post está longe de ser um manifesto, mas sim uma reflexão dos motivos de cada um de nós ter orgulho de se considerar gamer. Sabermos e reconhecermos o que nos faz continuar consumindo e fazendo parte de uma tribo que ainda atravessa décadas e se adapta ao novo modo de entretenimento. Pessoas que colecionam e expõem seus troféus nas estantes de casa. Grupos que vivem de amizades saudáveis e horas de jogo. Que deixam de ser apenas companheiros de guerra, aventura, lutas e corridas, para se tornarem muito mais do que isso. Estranhos e desconhecidos que se tornam amigos e parte da vida dos outros.

A evolução do Gamer

Muito se discute sobre a evolução tecnológica de hoje acabar afastando os seres humanos, privando-nos em uma vida online e à distância. Nós, gamers, estamos aqui para provar o contrário. Já tivemos nossa época de combinarmos encontros entre amigos para jogarmos desde a geração com apenas 2 controles para os famosos 4 jogadores em uma única tela. Hoje podemos jogar com mais de 8 pessoas ao mesmo tempo e de forma saudável, mesmo que distantes um do outro. Essa distância física também proporcionou a chance de conhecermos novas pessoas e futuras amizades.

Quem nunca foi convidado por um amigo e acaba se socializando com outros gamers em pleno encontro ou evento? Ou até mesmo foi adicionado em uma sala de alguma partida online e acabou conhecendo outras pessoas e que de início eram vozes estranhas para futuramente se tornarem amigos? Não importa qual o poder gráfico dos nossos consoles. Ser gamer está longe da capacidade de processamento do jogo, mas sim as possibilidades de interação que ele proporciona. Não importa quantos títulos você terminou ou se você sabe todos os nomes que aparecem no jogo. Não queremos saber se você consegue ser o melhor.

Seja um jogador bom ou péssimo, num PS3 ou Atari. Pense que ser gamer é fazer parte de um grupo de pessoas que sabem se relacionar por um objetivo e tema em comum. Num bar com os amigos, em eventos, no ônibus ou na frente da televisão, você vai poder jogar e se relacionar. Até mesmo com aquela pessoa que não joga, mas reconhece quando falamos algum jogo que seja referência da cultural popular e senso comum.

Jogar entre amigos

O Cidade Gamer é um exemplo e fruto disso tudo. Uma grande vontade que reuniu desconhecidos e os fez amigos, com o intuito de discutir e manter contato, até mesmo com a possibilidade de novas amizades. Eventos em grupo, jogatinas presenciais e online, roda de amigos para conversa. Não precisamos depender de nada para fazer com que isso aconteça, basta você ter a consciência do que é ser um gamer.

Ser gamer também é jogar, mas mais do que isso é ter bons e novos amigos, horas de risada, diversão e entretenimento. A locadora e as fichas de ontem podem ser trocadas por grupos e jogos em qualquer hora ou lugar. Sem muito sacrifício e com um retorno que sempre levaremos para a vida toda. Obrigado, Cidade Gamer. Feliz Aniversário.

Post Author: Rafael Nery

1) Geminiano e Nerd 2) Adoro usar xadrez 3) Amante de quadrinhos, games, filmes e desenhos 4) Estudioso da cultura japonesa 5) Viciado em literatura fantástica