Sua Morada Pixelada

Loot Boxes Sob Ataque dos Políticos e da Opinião Pública

Loot boxes sob ataque dos políticos e da opinião pública

As loot boxes continuam sendo a bola da vez. A polêmica “estourou” em 2017 e nos últimos dias vários sites internacionais, incluindo o jornal australiano ABC e o portal de tecnologia Engadget, voltaram a este tema. As loot boxes, como o nome indica, são “caixas de recompensa”, isto é, funcionalidades de videogames que dão ao usuário um item extra que pode ajudá-lo, ou não.

O grande problema é que o usuário tem de gastar dinheiro para acessar os itens. No melhor cenário, ele tem de pagar para jogar; no pior, ele paga uma pequena quantia para ter a possibilidade de receber um prêmio grande, mas depois quase nunca recebe nada.

A polêmica veio principalmente por causa do jogo “Star Wars Battlefront 2”, mas são vários os jogos que vêm com isso, como forma de monetização. Em vários países, os políticos estão acusando as plataformas de se comportarem como cassinos e vêm pedindo limites a esse negócio.

Comparação com os cassinos online

Claro que estar jogando um jogo de vídeo e gastar dinheiro para tentar ganhar mais uma roupa para vestir bem a personagem ou mais uma arma para matar o dobro dos inimigos não é a mesma coisa que acessar o NetBet Casino e jogar na roleta. E, na verdade, nos perguntamos se não será até pior. Não só por os usuários serem crianças e adolescentes; mas também porque a loot box é jogo disfarçado de outra coisa.

Pelo menos os cassinos online, além de cumprirem regras de segurança – principalmente aqueles baseados em países com legislação exigente, como Malta – não enganam o usuário, que sabe que está ali para jogar e está bem informado. Nas plataformas de jogo, o adolescente nem percebe bem o que está fazendo.

Engadget e ABC

Num artigo do passado dia 26 de fevereiro, o jornal australiano ABC voltou ao tema, mostrando os esforços de autoridades na Bélgica e no estado americano do Havai para limitar o alcance das loot boxes. De acordo com esse artigo, a indústria de gaming australiana, no geral, está contra a ideia porque limita a criatividade dos designers e aproxima os videojogos dos jogos de cassino.

Quanto ao Engadget, apontou os esforços mais recentes de Chris Lee, político do estado do Havai e ele próprio um gamer, que vem sendo um dos grandes opositores do crescimento das loot boxes. Ele diz mesmo que a indústria de gaming pode ser apontada publicamente por esconder do público informação que tinha, como foram no passado as indústrias do tabaco e do petróleo.

Pode esperar mais novidades nos próximos tempos, pois esse tema não vai morrer tão cedo.

 

Sua Morada Pixelada, podcasts de games, vídeos, colunas, matérias textos, notícias e muito bom humor!

Compartilhe a Cidade
%d blogueiros gostam disto: