Museu Gamer – Desert Strike

Produzido e distribuído pela EA em 1992, Desert Strike – Return to the Gulf, chegou em um grande número de conversões para diferentes plataformas, entre elas, PC, SNES, Mega Drive, Game Boy Color, entre outras.

Capa para Mega Drive
Capa para Mega Drive

A missão do jogador era comandar um helicóptero de ataque Apache AH-64. Sua missão? Muito simples, você iria lutar na primeira Guerra do Iraque em uma guerra fictícia, uma vez que o motivo principal da missão era “salvar o mundo de um louco psicopata que poderia iniciar a Terceira Guerra Mundial”, tudo isto se passando no Oriente Médio e tendo o petróleo como plano de fundo, mais real impossível. Na tentativa de impedir o início deste conflito, o jogador possuía apenas uma metralhadora, misseis simples e misseis teleguiados, quem disse que seria fácil?

“Louco psicopata”

Desert Strike pode ser considerado um jogo de mundo aberto, uma vez que você poderia fazer as missões na ordem apresentada no jogo ou não, claro que em se tratando de um jogo de 1992, nem todas as missões poderiam ser feitas foram da ordem prevista, mas mesmo assim isto já era um grande salto para aquele ano. Um exemplo era, o jogador poderia pular a missão de destruir os radares, mas se assim o fizesse, todo o jogo ficaria bem mais difícil, já que as baterias anti-aéreas inimigas, ficariam bem mais rápidas e “inteligentes”.

Mas em Desert Strike, não bastava o jogador sair por aí atirando e destruindo tudo, era preciso gerenciar os recursos de sua aeronave, ao longo do mapa estavam espalhados itens que melhoravam sua blindagem (assim que se recuperava a “vida”), também era preciso recolher munição e combustível, saber gerenciar estes três elementos, era a chave para ser bem sucedido neste jogo. Também era preciso gerenciar o espaço em sua helicóptero, sempre que ele estivesse cheio de reféns, era preciso descarregá-los em uma base amiga, ou mesmo na fragata ,que servia como Quartel General.

Entre as missões secundárias estavam, salvar reféns, destruir campos de concentrações para resgatar soldados ou presos políticos, destruir baterias anti-aéreas, radares ou aeroportos e até mesmo sequestrar comandantes inimigos para conseguir informações secretas. Claro que Desert Strike possuiu uma missão de Escort (odiada por muitos jogadores), nela você precisava proteger reféns recém libertos e fazer com o ônibus que eles estão, chegue a salvo até as forças amigas. Outra missão que eu me recordo, era a quando precisávamos destruir um avião durante sua decolagem.

 

Após o sucesso de Desert Strike, tivemos algumas continuações, mas nenhuma delas com tanto brilho quanto o jogo original: Jungle Strike (Mega Drive, SNES, PC, Game Gear e Game Boy), Urban Strike (Mega Drive, SNES, DOS e  Game Boy), Soviet Strike (Sega Saturn e PlayStation) e finalmente Nuclear Strike (PlayStation, PC e Nintendo 64).

A curiosidade é: no final de Nuclear Strike, é apresentado o trailer de Future Strike, possível continuação da série, que nunca chegou a ser lançado.

Post Author: Vinicius Maciel

Joga video game desde a época que a palavra "ergonomia" não existia no dicionário dos designers de joystick !