Museu Gamer – Prince of Persia

É sempre assim, cada geração possui um jogo que é o responsável por dar um “salto” na tecnologia e a partir de então, ele passa a ser parâmetro a ser seguido para futuros lançamentos. Desenvolvido por apenas um cara (Jordan Mechner) e distribuído pela Broderbund, Prince of Persia (1989) é o exemplo perfeito de como um jogo deixa de ser apenas “mais um jogo” e se torna um “divisor de águas”.

O plot principal do jogo não poderia deixar de ser mais o recorrente no mundo dos games: se aproveitando que o rei estava em uma guerra, o Vizier (conselheiro ou ministro) Jaffar tentou tomar o poder do país, mas ele tinha um obstáculo: a filha do rei. Então Jaffar a aprisionou na torre do castelo e ordenou que ela se cassase com ele, dando a ela uma hora para se decidir. Prince, o par romântico da princesa, foi jogado nas masmorras e você deverá levá-lo até o alto da torre, derrotar Jaffar e salvar a princesa.

 

Utilizando uma técnica chamada de rotoscopia, que consiste em filmar os movimentos de uma pessoa ou objeto e utilizar este filmagem para “desenhar” no computador, nasceu Prince of Persia.  Esta técnica também foi utilizada no primeiro game de Jordan Karateka (1984). Claro que em Karateka, o jogo ainda apresentada um pouco de lentidão e os movimentos não pareciam tão suaves, problema estes que viriam a ser corrigidos em PoP. Se você achou difícil de entender em palavras, assista o vídeo abaixo, nele podemos ver o irmão de Jordan sendo utilizado como referência para os movimentos do protagonista, que mais tarde, seriam utilizados para dar vida a Prince.

 

Mesmo o jogo tendo sido construído com os fundamentos mais simples do mundo dos games (subir, pular, correr, caminhar, etc.), a maneira como eles foram utilizados é o que o transformou em um clássico, não é todo dia que uma única pessoas consegue transformar coisas tão simples em um jogo de sucesso. Outra característica muito marcante do jogo foi a utilização de armadilhas, que em sua grande maioria, espedaçam o nosso querido protagonista. Este elemento foi tão bem sucedido, que se tornou um marco na série e está presente em todos os jogos.

Depois de inúmeros jogos, em 2010 Prince of Persia the Sands of Time chega a tela dos cinemas, o filme não foi um sucesso de crítica, mas ao menos ele foi bem fiel ao universo do jogo.

Poster do Filme Prince of  Persia Sands of Time

Se você gostou do Prince of Persia original, mas acha que os gráficos envelheceram (eu não acho !) você pode jogar o remake lançado em 2007, disponível para Xbox Live Arcade e PSN. Mas se você realmente gostou do jogo e quer saber mais sobre sua criação, você pode comprar o livro (em versão digital) diretamente no site de seu criador, nele, Jordan Mechner conta todos os detalhes da criação deste clássico.

Post Author: Vinicius Maciel

Joga video game desde a época que a palavra "ergonomia" não existia no dicionário dos designers de joystick !