Interatividade

O Game Design parte 3

Interatividade

Olá, olá, visitantes pixelados. Sejam bem-vindos novamente a Fábrica Gamer. É muito bom poder recebê-los novamente aqui no local onde acontece a magia que faz os games nascerem. Estou de volta aqui para falar sobre a minha área de especialidade, que é o Game Design. Fui estimulado a falar novamente sobre o assunto pelo pessoal do Abrindo o Jogo, onde eles levantaram uma das definições de jogos que eu gosto muito onde existem quatro elementos básicos: Interação, conflito, regras e objetivo. Vamos então falar aqui sobre esses quatro elementos.

Bom, começando pelo básico, podemos notar que o que diferencia um filme de um jogo é a interação. Quando se vai ao cinema, a pessoa senta e apenas observa um decorrer de eventos que já estão definidos. Quando jogando um game, você interage dando comandos que refletirão nas ações dos personagens que estão sendo controlados. As formas como essa interação é feita podem ser muito diferentes. Não existe uma forma única de interagir.

A interação mais clássica que temos é através do controle onde se controla o personagem andando pelo cenário e ao apertar botões ele pula, atira, corre, etc. Porém existem outras formas que são um pouco diferente. Por exemplo, o jogo Dragon’s Lair, o jogador assistia o personagem andar e interagir pelo cenário como se fosse um filme em animação, porém em determinados momentos o jogador deve apertar os botões para que animação continue conforme o que foi comandado.

Ao longo do tempo a própria tecnologia mudou e a forma como se interagia foi mudando. Os primeiros jogos em árcades tinham as alavancas para controlar a movimentação dos personagens e um botão de ação. Depois, já nos consoles, tivemos o surgimento do botão direcional, que tornou a interação com o ambiente 2D de forma melhor. Depois houve o advento dos jogos 3D, porém o direcional limitava um pouco a interação, que foi resolvida com a alavanca analógica. Mais recentemente, tivemos os controles de movimento, que elevaram a interação para outro nível.

Sendo assim, quando desenvolvendo um jogo é ideal procurar a melhor forma para escolher a interação. Como você quer que o jogador interaja com o jogo? É agradável a forma como se dá essa interação? Essas perguntas devem ser levadas em conta quando se criando um jogo. Na próxima visita, veremos como unir a interação com os conflitos que o jogador enfrentará. Até lá.

Compartilhe a Cidade

Post Author: Cidade Gamer

Sua Morada Pixelada, podcasts de games, vídeos, colunas, matérias textos, notícias e muito bom humor!