Pit-Fighter

Sendo um dos primeiros jogos que nos presenteou com a “dádiva” dos atores digitalizados, em um primeiro momento, Pit-Fighter impressionou, mas somente neste primeiro momento.

Desenvolvido pela ATARI, Pit-Fighter chegou aos arcades em 1990 e posteriormente a uma infinidade de consoles e computadores domésticos, ele também nos mostrou uma técnica inovadora para a época, que era a digitalização de atores. Posteriormente esta mesma técnica seria utilizada em um grande sucesso dos arcades, Mortal Kombat. Foi uma pena que esta inovadora técnica foi a única grande novidade do jogo, uma vez que a jogabilidade e a história são extremamente ruins.

Exemplo de vídeo contendo atores digitalizados

Em se tratando de história Pit-Fighter é como a grande maioria dos jogos de luta, fraca e extremamente rasa. A premissa básica é: enfrentar uma série de lutadores durante um torneio clandestino. A sua recompensa? Dinheiro, é claro.

Durante as lutas a platéia tem um papel importante, uma vez que, caso você se aproxime demais dela, o seu personagem seria empurrado de volta para o centro do ringue, mas algo pior também poderia acontecer, a platéia podia atacar o seu personagem fazendo-o perder preciosos pontos de vida e bota preciosos nisto, já que a cada ficha, seu personagem ganhava apenas uma vida, ou seja, nada menos do que um saco de fichas era necessário para terminar Pit-Fighter.

As animações eram excelentes !
Com lutadores tão genéricos, não poderíamos esperar muito do jogo, não é mesmo?

Jogabilidade

Mesmo possuindo apenas três botões (pulo, soco e chute) não era fácil ganhar as lutas e muito menos acertar os acertar os adversários, a sensação que ficava era que a distância que os golpes inimigos atingiam, era muito maior do que a dos nossos lutadores.

Como toda boa luta-de-rua-ilegal, era permitido usar vários tipos de armas, entre elas: taco de sinuca, facas, barris, caixas de madeira. Também havia “o item especial”, ele era uma “pílula gigante” com a letra “P”, ela dava super poder a quem a pegasse, claro que isto também incluía os inimigos.

Sempre achei que eles usavam fraldas!

Para conhecer Pit-Fighter do início ao fim, assistia os vídeos abaixo.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=PnFU-BXda2A]

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=_7ZdQTSGPNg]

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=a6RhaxpWsB0&feature=related]

Talvez você caro leitor, esteja se perguntando por que eu dediquei este espaço para falar de um jogo que não foi bom, por que mesmo sendo ruim, ele deve ser conhecido e apreciado?! Lembre-se que por menor que possa parecer, cada todo jogo tem seu papel na evolução da indústria de games, ou você acha que Mortal Kombat seria tão bom se não existisse um Pit-Fighter?

Compartilhe a Cidade

Post Author: Vinicius Maciel

Joga video game desde a época que a palavra "ergonomia" não existia no dicionário dos designers de joystick !