🎮 Cidade Gamer 266: Overworld – As Primeiras Impressões do Nintendo Switch

Sejam bem vindos moradores pixelados da nossa querida Cidade Gamer, de volta com o Overworld trazemos um programa recheado de primeiras impressões do novo portátil/console da Nintendo, o Switch.

E para falar do novo notável da Big N, trazemos Jonny o Jogador Ocular e o Prefeito Vivacqua.

Clique para comprar a caneca do Torbjorn de Overwatch

Este projeto só foi possível graças aos Padrinhos:

Flávio Camilo de Sousa Teixeira, William Duraut Pudell, Thiago Bertuzzi, Phylipe Brocco Anastácio, Gilmar Lima de Souza, Paulo Roberto Libardi, Suelen Nastri, David Vieira Nunes, Andre, João Henrique Dos Santos, Raphael Honda, Ricardo Maginador, Guilherme Sansoni, Drico DOliveira, Igor Benício de Mesquita, Ralf Rossini do Nascimento, Jackson Eduardo Homma, Rubens Mateus Padoveze, Renato Monteiro Ruiz, Diego Maeda Faquinello, Leon Borges E Silva, Thamise de Carvalho Farias, Gabriel Santana Novais, Carlos Eduardo Corsi Ferreira, Wagner Abril, Tuco Souza, Pedro Ernesto Bastos das Chagas, Ronne Telles dos Santos, Diego Magaiver Jahn e Patrick Buchmann.

 

Siga no Twitter:

Comentados no Programa:
  Redes Sociais da Cidade Gamer:

Coisas boas da Cidade Gamer:

Canecas da The Magic Box

Gostou do nosso podcast? Já conhecia nosso podcast? Já conhecia essas histórias? Não deixe de contar a sua! Adoramos receber emails, e todos aqueles que escrevem são nossos moradores pixelados. Deixe seu recado, opinião e crítica em nosso email, escreva para: podcast@cidadegamer.com.br

Compartilhe a Cidade

Comments

comments

  • Brunno Leonardo

    Acabei de ouvir e droga, to quase indo comprar o Switch AMANHÃ!

    • João Gabriel Rocha Câmara

      Vai, Brunão! Entuba e seja feliz!

      • vivacqua

        Já era agora!

    • Ygor Amaral

      Oi moço, não tenho um Switch, mas a gente poderia switchar algumas coisas, que tal?

  • Ygor Amaral

    Pisa menos vinheta do bonus round, eu te implorooooooo e eu vou começar a assinar meus e-mails como Waygor, seria a versão do mal do Ygor tipo o wario do mario e walugi do luigi sakas? -n

  • Ronne

    acho que vc falou que o switch foi o primeiro portatil a ter o “L2 E R2” mas o New 3ds XL tem “ZL e ZR”

    • João Gabriel Rocha Câmara

      É verdade! Boa Lembrança.

  • duhbits

    Cadê a foto do case que o Jonny improvisou?

    • vivacqua

      Dá uma olhada no vídeo, ele mostra com mais detalhes tudo que ele falou! https://youtu.be/HRZocJcIygI

      • duhbits

        Acabei de ver o case, ótimo vídeo BTW.

  • Guilherme Sansoni

    Cast foda!!! infelizmente apenas pra passar vontade, pois não tenho expectativa nenhuma de jogar um dia esse jogo, por ter outras prioridades…:(

  • Esses Overworlds estão ótimos. Já me deu uma vontade de comprar o Switch.

  • Sandro Sonetti

    Realmente entendo a empolgacao do convidado com o Switch.
    Mas ouvir a depreciação dos outros sistemas em prol do Switch cansou, infelizmente eu vejo como um episodio que ao inves de focar no excelente switch, sempre tinha as agulhadas nos outros sistemas.
    Nintendo é otima? Sim, tb gosto, mas acho que ‘menos’ teria sido mais justo com o assunto.

    infelizmente parei no meio, e aguardo o proximo.

    ps:
    tenho varios consoles nintendo, não estou puxando sardinha pra ninguem, mas não curto ouvir pessoas fanaticas por qqer coisa falando quando depreciam o valor dos concorrentes.

    abs

    • João Gabriel Rocha Câmara

      Como disse no cast, ao falar das outras plataformas, tentei justificar minha escolha. Nesse programa, não foi minha intenção agulhar nenhum sistema (apesar de acreditar que a Microsoft anda merecendo algumas :D). Mas o fato é que o Switch ocupa sim um espaço no mercado, e merece ser comparado com as outras, inclusive nos aspectos negativos (por exemplo, na clara desvantagem em relação ao poder gráfico em jogos multiplataforma).

      Deixei claro também que o valor percebido de pegar o console no lançamento, é meu, individual. Talvez, por não ter ouvido o podcast inteiro, você não tenha ouvido essa parte. Confesso que acho a rotulação de fanático um tanto injusta. Tenho minhas claras preferências (como todos nós, na verdade), mas jogo videogame a tempo demais pra entrar nessa.

      Enfim, uma pena que não tenha gostado. Fica pra próxima.

    • vivacqua

      Poxa Sandro, sério isso?

      A proposta, desde o primeiro Overworld foi nos conectar diretamente com o movimento do mercado e da indústria, e com isso gerar e fomentar a noção de informação sobre o que está acontecendo com uma análise fria e 100% pessoal.

      As experiências citadas no programa são baseadas em 100% de experimentação, não houve uma plataforma mencionada que não experimentamos, e não houve uma “cutucada” que não tivesse relação direta do impacto da indústria.

      Falar do Xbox One quando o cast de Switch é viável sim, afinal de contas, o Xbox 360 quase faliu quando decidiram investir no Kinect e os famosos controles de movimento, que já foram citados em entrevista, vieram diretamente inspirados em consoles da Nintendo.

      Eu não pedirei desculpas se você não consegue separar suas paixões das informações e experiências que compartilhamos, eu vou me apegar aos 8 ouvintes que sairam de casa depois de ouvir o nosso programa e foram comprar um switch.

      E não precisa ouvir o próximo também, pois todos vão ser assim, interligados, recheados de pesquisas e dados pra ajudar nossos ouvintes a compreender e tomar decisões menos emotivas e mais racionais.

      Abração pixelado e obrigado por ouvir só até a metade, se não ouviu os outros overworlds, nem tente, pois são iguais a este, citando outros consoles pra estabelecer um grau comparativo.

      Abração pixelado, e uma pena que você pense assim.

  • Rubens Mateus Padoveze

    Aproveitando essa pegada mais séria do overworld e debate. Gostária de sugerir umas pautas.
    Empresas que foram compradas por outras empresas, e que fim levou as franquias que amamos com essas compras. E os criadores de jogos, tiverem seu estilo mudado pelos novos pratrões?
    E a mistura de franquias é bem vista? Com tantos “odiadores” entre as franquias, será que teremos menos delas? São legais de acontecer, chama publico? Ou não?
    Os novos estudios querem ser abraçados por um grande empresa? As grandes epresas querem abraças estudios pequenos? Economicamente do lado do consumidor o que é melhor? E dos criadores?

  • Rubens Mateus Padoveze

    Aproveitando essa pegada mais séria do overworld e debate. Gostaria de sugerir umas pautas.
    Empresas que foram compradas por outras empresas, e que fim levou as franquias que amamos com essas compras. E os criadores de jogos, tiverem seu estilo mudado pelos novos patrões?
    E a mistura de franquias é bem vista? Com tantos “odiadores” entre as franquias, será que teremos menos delas? São legais de acontecer, chama publico? Ou não?
    Os novos estudios querem ser abraçados por um grande empresa? As grandes empresas querem abraças estúdios pequenos? Economicamente do lado do consumidor o que é melhor? E dos criadores?