📽 Power Off 21: Homem-Aranha: De Volta ao Lar

Sejam bem vindos moradores pixelados da nossa querida Cidade Gamer, no Power Off desta quinta feira direto de uma Nova York Pixelada vamos falar do primeiro filme da “parceria” entre Sony Pictures e Marvel Studios com o amigão da vizinhança, o Homem-Aranha: De Volta ao Lar!

Para uma bate papo Marvético, recebemos a Primeira Dama da Cidade Gamer, Gabriela Jaloto, nosso Ogro de Estimação, o Bill, o Ministro das Canecas Ed Palharese o Prefeito Vivacqua.

Apoie o Padrim da Cidade Gamer

 

Caneca da Mei de Overwatch

Este projeto só foi possível graças aos Padrinhos:

Flávio Camilo de Sousa Teixeira, William Duraut Pudell, Thiago Bertuzzi, Phylipe Brocco Anastácio, Gilmar Lima de Souza, Paulo Roberto Libardi, Suelen Nastri, David Vieira Nunes, Andre, João Henrique Dos Santos, Raphael Honda, Ricardo Maginador, Guilherme Sansoni, Drico DOliveira, Igor Benício de Mesquita, Ralf Rossini do Nascimento, Jackson Eduardo Homma, Rubens Mateus Padoveze, Renato Monteiro Ruiz, Diego Maeda Faquinello, Leon Borges E Silva, Thamise de Carvalho Farias, Gabriel Santana Novais, Carlos Eduardo Corsi Ferreira, Wagner Abril, Tuco Souza, Pedro Ernesto Bastos das Chagas, Diego Magaiver Jahn e Patrick Buchmann.

Links do Programa

Siga no Twitter:

 Redes Sociais da Cidade Gamer:

Coisas boas da Cidade Gamer:

Canecas da The Magic Box

Gostou do nosso podcast? Já conhecia nosso podcast? Já conhecia essas histórias? Não deixe de contar a sua! Adoramos receber emails, e todos aqueles que escrevem são nossos moradores pixelados. Deixe seu recado, opinião e crítica em nosso email, escreva para: podcast@cidadegamer.com.br

Comments

comments

  • Diogo Lopes Bastos

    Foi um ótimo podcast sobre esse retorno do Homem-Aranha para a Marvel, devo dizer que fiquei bem preocupado pela presença do Tony Star/Homem de Ferro ser muito grande nesse filme, mas a maioria das cenas dele estão nos trailers e a presença dele funciona bem no desenvolvimento do personagem. Sem contar que foi legal o Happy aparecer bem no filme e a surpresa da Pepper Potts no final, as cenas de vídeo do Capitão América funcionam bem como alívio cômico.
    O núcleo do Peter Parker foi sensacional como o Ned sendo a nossa representação naquele mundo, se mostrando como uma consciência para o Peter e amigo leal e Cara da Cadeira nos momentos importantes. Michelle foi outra personagem que funcionou como alívio cômico muito bem, além de mostrar uma personalidade forte, fiquei surpreso no final ela ser revelada como a MJ e gostei, espero que explorem uma relação mais próxima dela com o Peter no próximo filme. Flash ficou um babaca dos nossos tempos atuais e está ótimo assim, agindo como o rei da escola que nos momentos de aperto como do elevador só pensa em si mesmo.
    Tom Holland conseguiu ser um excelente Homem-Aranha que ainda não aprendeu a ser um herói, mesmo tendo boas intenções algumas vezes acaba agindo de forma impulsiva que tem pequenas consequências (como prender o dono do carro) e gigantescas (o quase desastre da Barca), ele já tem o senso de responsabilidade de que por ter os poderes deve fazer o certo, mesmo que isso o faça perder situações legais com seus colegas. O momento que ele está preso nos destroços e desesperado você fica com medo junto dele, mas quando consegue se acalmar a sai daquela situação é perfeito.
    Michael Keaton como Abutre ficou no mesmo nível do Alfred Molina, um personagem que compreendemos sua motivação e não desejava aquela vida, mas que por motivos fora do seu controle acabou seguindo, ele se recusa a fazer grandes roubos e só o faz quando a água bate na bunda. Você só sente ele como uma grande ameça no momento que ele está no carro com o Peter, justamente porque o que ira fazer será algo gigante.
    O filme acerta muito na questão de mostrar o Aranha como um amigão da vizinhança e muitas vezes precisando se virar e usar a sua inteligência para criar o fluido de teia e sair de uma situação complicada e as cenas de ação são boas. Nem tudo é perfeito e sinceramente acredito que aproveitaram muito mal a Tia May, em nenhum momento eu senti ela ter importância na vida do Peter, o uniforme tecnológico só serviu para criar piadas com o fato do Homem-Aranha não saber usa-lo e acredito que só deviam ter inserido nele o rastreador e a teia de impacto, na relação dele com a Liz em nenhum momento eu senti que ela gostasse dele de verdade.
    Tenho certeza de que nos futuro filmes o personagem ira amadurecer e nos trazer grande alegria.