Resenha: No One Lives Forever 2

Olá moradores da Cidade Gamer, hoje falarei de mais um jogo pouco conhecido, mas que conseguiu boas notas neste caótico mundo dos reviews de games. Estou falando de No One Lives Forever 2 – A Spy in a H.A.R.M.’S Way, lançado em 2002, com produção da Monolith Productions e distribuído pela Sierra (hoje pertencente a Activision).

História

Em NOLF2, a sua missão é salvar o mundo das garras de uma organização terrorista chamada H.A.R.M., que além de conquistar o mundo, pretende desencadear a 3ª guerra mundial (bem clichê não é mesmo?) e livra o planeta de tal organização você encarnará na pele de uma espiã super sexy, Cate Archer, que viajará por vários lugares do mundo (Índia, EUA, Japão, Antártida, etc) atrás dos malfeitores da H.A.R.M.,  tudo isto ambientado nos anos 60, com suas roupas e músicas características.

Esta imagem servirá muito bem como papel de parede do seu PC.

 

Humor nonsense

Sem sombra de dúvida, uma das características mais marcantes do jogo é o seu bom humor, além dos inimigos bastante carismáticos, existem até mesmo palhaços mimicos como inimigos. Um exemplo deste humor esta no vídeo abaixo, onde você utiliza um triciclo infantil (aka velotrol) para realizar uma perseguição “alucinante” contra um monociclo. !!!

Perseguição “alucinante” – monociclo X triciclo

Outro capítulo a parte são as armas, que vão desde as tradicionais: pistolas, AK-47, shotgun, passando pelas: katana, arma de choque, angry kitty e chegando até mesmo as cascas de bananas, bem é melhor ver do que eu ficar tentando explicar.

Demonstração de todas as armas do jogo

Como todos os personagens são extremamente carismáticos (sejam eles vilões ou companheiros), eu escolhi apenas um para comentar, eu o considero o Capitão Price de Cate, ele é Magnus Armstrong, um escocês autêntico (inclusive no “fator kilt”), que ajuda a nossa espiã a se infiltrar na fortaleza no final do jogo.

Magnus, um escocês bad-ass de barba ruiva e kilt

 

Gráficos, dublagem e jobabilidade

NOLF2 é o exemplo vivo de como os gráficos de um jogos podem envelhecer muito bem. (Que podem ser vistos logo abaixo, na seção extras).

O jogo conta com uma barra de energia e a possibilidade de a protagonista carregar várias armas ao mesmo tempo, bem diferente dos atuais FPS, onde a sua “vida” se regenera com o tempo e é permitido carregar somente duas armas simultaneamente.

Outro fator que é bastante bem executado neste game são as dublagens e os diálogos, cada personagem possui uma voz única e extremamente bem feita, assim como os textos de tais diálogos e os redatores do jogo, que fizeram um ótimo trabalho na criação dos textos que seriam utilizados nas falas dos personagens.

 

Extras

E para terminar deixo algumas dicas de vídeos (nossa o post o post esta lotados deles!), onde podemos ver o último nível do jogo e uma compilação de todas as cutscenes do jogo.

O último nível de NOLF2

Todas as cutscenes de NOLF2 – parte 1

Todas as cutscenes de NOLF2 – parte 2

Todas as cutscenes de NOLF2 – parte 2

OBS: Se todas estas cutscenes fossem unidas em um único arquivo de vídeo, garanto que elas se transformariam em um excelente filme de comédia !!

 

Compartilhe a Cidade

Post Author: Vinicius Maciel

Joga video game desde a época que a palavra "ergonomia" não existia no dicionário dos designers de joystick !