Sua Morada Pixelada

Resenha: Slain: Back From Hell

O que dizer sobre esse jogo que me irritou tanto, mas considero pacas? Slain: Back From Hell é um metroidvania com muito gore, cenários sombrios, heavy metal e nível de dificuldade alto. Você morre várias vezes, mas evolui sempre que tenta passar pelo desafio que te derrubou antes.

A arte do jogo lembra capas de alguns álbuns de metal dos anos 1980, como Iron Maiden, Grave Digger ou Manowar. Sua trilha sonora é um pouco repetitiva, com riffs de guitarra pesados e a bateria intensa fazendo um bom trabalho de preparar o jogador para a batalha.

Criado pela desenvolvedora indie Wolf Brew Games, Slain é um jogo difícil, um Castlevania com músicas que incentivam os amantes de heavy metal a continuarem jogando. Mesmo que o estilo do jogo lembre um pouco Ghosts ‘n Goblins, você é impelido a seguir em frente,

A progressão é quase “não-linear” no começo, pois você pode escolher caminhos diferentes quando termina a primeira fase. Além disso, caso fique muito complicado vencer uma seção, você pode voltar atrás e seguir outro caminho para ver se consegue seguir em frente com mais tranquilidade.

 

Enredo superficial

A história de Slain: Back From Hell é um pouco rasa e gira em torno de Bathoryn, um guerreiro que é acordado de seu sono eterno por um espírito sombrio alegando que havia um grande perigo no mundo.

O “herói” levanta-se junto com sua poderosa espada para acabar com as criaturas infernais que estão fazendo o mal por sua terra. Por isso, ande sempre á direita e mate tudo o que se mexer neste caminho.

Você pode entender um pouco do enredo seguindo os diálogos curtos entre Bathoryn e os chefes que ele enfrenta, bem no estilo dos jogos de antigamente. O tom das conversas é bem bizarro, com aquele jeitão “true metal” das letras das canções dos anos 1980.

Dificuldade de Slain: Back From Hell

Inimigo em Slain Back From Hell

Primeiramente, a versão de Slain: Back From Hell analisada nesta resenha é a de PC disponível no Steam. A dificuldade do jogo é alta, mas é aquela do tipo que incentiva a continuar jogando. A cada erro, você volta a jogar melhor, pois aprendeu com um pouco com a falha anterior.

Há muitas armadilhas que são muito complicadas de desviar e as criaturas surgem aos montes. Tem hora que você nem sabe o que fazer para evitar estátuas assassinas, plataformas que caem, bolas de ferro com espinhos, pilares esmagadores, espinhos que surgem do chão ou botões fazem prensas gigantes surgirem.

Bathoryn enfrenta espíritos, demônios, mortos-vivos, insetos gigantes, gárgulas, lobisomens e outros inimigos sobrenaturais. Eles são fortes, conseguem te emboscar e você precisa de estratégia e agilidade para sobreviver.

É importante ter paciência para vencer estes desafios e ter muita cautela. Em seguida você morre com poucos hits ao encontrar um mini-chefe muito mais forte. Depois você chega ao final da fase para enfrentar um chefe que vai fazer você morrer diversas vezes.

Além disso, quase não há itens de cura, apenas uns poucos “corações” e checkpoints para recuperar mana e vida.

 

Jogabilidade e os gráficos

Slain Back From Hell
Para jogar Slain: Back From Hell basta usar poucos botões para atacar, pular, usar magia e bloquear (que também serve como contra-ataque). Mesmo com uma jogabilidade simples, o uso desses comandos são colocados a prova quando os inimigos surgem.

Como em um bom hack n slash, é possível realizar combos conforme o número de vezes que você aperta o botão de atacar. Você também pode segurar o botão de ataque para carregar uma magia e soltá-la no melhor momento.

Bathoryn tem como única arma sua espada que recebe upgrades, podendo se transformar em um machado ou se torna uma espada flamejante. Cada mudança serve para eliminar um tipo de inimigo, como a espada de fogo que é muito eficiente contra as bruxas.

Os pixels têm qualidade HD, com gráficos detalhados e muito bonitos, com um apelo nostálgico e efeitos de iluminação bem interessantes. Os cenários são interessantes e têm temas diferentes, com materiais tóxicos, florestas amaldiçoadas, esgoto e castelos escuros, entre outros.

Slain: Back From Hell tem músicas viciantes, é divertido e desafiador. Pode ser que você também se incomode com as mudanças de câmeras, pois há momentos em que fica difícil saber onde pular sem morrer.

Mesmo provocando um pouco de irritação com sua dificuldade, garante algumas horas de diversão e mesmo que você morra muito é muito recompensador, pois você percebe que consegue se superar a cada tentativa.

 

Data de lançamento inicial: 24 de março de 2016

Desenvolvedor: Wolf Brew Games

Estúdio: Wolf Brew Games

Gênero: Ação, Plataforma, Hack’n slash

Plataformas: PC, PS4/PSVita (13/09/2016), Xbox One (08/09/2016) e Nintendo Switch (07/12/2017)

Jornalista que gosta de joguinhos e zumbis. Filha do Wolverine com a Mulher-Maravilha. Casada com gamer-otaku e mãe de um Lord Sith.

Compartilhe a Cidade
%d blogueiros gostam disto: