Resenha: Titan Souls

Resenha: Titan Souls

13 de junho de 2016 0 Por Prefeito Vivacqua

Nascido em uma game jam – evento que desafia desenvolvedores a criar jogos com base em uma temática específica – Titan Souls é irritantemente completo na sua proposta.

Sob o desafio imposto para a criação deste jogo, cuja temática era focada no  “número 1”, a Acid Nerve apresentou a aventura Titan Souls  com “um” personagem munido de uma “única” flecha usada constantemente para atacar seus inimigos “um a um” e pode morrer após “um” hit de “um” forte inimigo.

Um dos temidos chefes de Titan Souls

Um dos temidos chefes de Titan Souls

Um produto refinado com uma genialidade que combina The Legend of Zelda com Shadow of the Colossus e Dark Souls . Um deslumbre em “pixel arte” que o mantem,  por tentativa e erro, no aperfeiçomento do combate.

Um jogo que exercita sua paciência enquanto testa todo seu aprendizado gamer.

O nome Titan, escolhido para título, revela um jogo com chefes poderosos envolvidos em uma grande batalha, onde sabe-se que: basta somente um acerto – just one shot – para matar ou morrer.

É neste quesito que o game design ganha seu destaque criando uma estratégia de apenas “um” hit. Seja o monstro cérebro preso em um bloco de gelo que precisa derreter ou um inimigo que necessita ser atingido no ponto exato para dar adeus a sua existência,  a jogabilidade frenética e as dificuldades impostas tornam Titan Souls  um jogo obrigatório.

Titan Souls está disponível para Steam, Playstation 4 e Playstation Vita.

Criado em um laboratório por motivos de puro luxo e inveja, Vivacqua tornou-se o inventor da internet e em seguida da primeira máquina do tempo.

Compartilhe a Cidade