Videogame é hobby?

Passatempo, jogo, esporte ou coisa séria?

Olá, pixelgamer!

A discussão de hoje trata de uma pergunta, na qual sua resposta no comentário é extremamente relevante: o videogame, para você, é hobby?

Definindo as bases

Hobby é entendido como passatempo, uma atividade de entretenimento desenvolvida nas horas livres com escolha consciente do executor. Sobrou um tempinho, então escolho jogar videogame para gastar ou passar essas horinhas.

Outra classificação possível seria a de jogo, situação na qual regras são predeterminadas e todos os participantes estão sujeitos a essa limitação, que no caso em questão se manifesta na programação do software em si e/ou nas escolhas feitas antes da rodada, como definir os tipos de armas no Call of Duty.

Um terceiro grupo seria o de esporte, termo comumente utilizado em campeonatos, mas essa definição só é possível quando existe um reconhecimento nacional na forma de uma confederação, com corpo de regras e definição de campeão anual.

Para você, qual é a classificação do jogar videogame hoje?

Colheita Feliz, do Orkut.

Nem uma, nem outra

Para o gamer casual, a classificação de hobby é bem simples. O videogame não está na rotina diária, serve para passar o tempo. Isso não denigre seu envolvimento com o hábito, mas demonstra a seriedade com que encara a situação. Isso também pode mudar ao conhecer um tipo de jogo ou game em específico. Quantos jogadores de Angry Birds não deixaram de ser casuais para, momentaneamente, se tornarem hardcores? Hardcore não combina com hobby.

Para o gamer hardcore o jogo deve ser destrinchado. Alguns vão destruir um game por vez, meu estilo, enquanto outros debulham dois ou três games em paralelo. No fim das contas, todos são hardcores com diferenciada capacidade de atenção, mas nenhum encara como hobby.

No meu caso, hábito

O videogame está na minha agenda, com dedicação diária de 90 minutos de segunda à sexta, jogando. Outros minutos podem ser dedicados ao estudo do game, atualizações, elaboração de estratégias, mas efetivamente são 90 minutos com o controle na mão e atenção exclusiva à tela. Nos fins de semana, posso dedicar mais tempo, ficando flexível.

Com essa organização, o game não ocupa um tempo livre, mas tem espaço próprio na agenda, assim como trabalho, estudo, treinamento físico, refeições e atenção à esposa. Não é preciso ser um gamer ou nerd freak para ser hardcore.

E para você, como é a relação tempo x game? Use os comentários para discutirmos, pois aqui no Ginásio Gamer, videogame é coisa séria.

@brunnoelias não é viciado, é gamer!

Compartilhe a Cidade

Post Author: Cidade Gamer

Sua Morada Pixelada, podcasts de games, vídeos, colunas, matérias textos, notícias e muito bom humor!