Resenha: X-COM UFO Defense

Em minha primeira investida no Museu Gamer, desenterrei um clássico, e agora vou trazer para você visitante de nossa cidade gamer.

Inicialmente distribuído na Europa com o nome de UFO: Enemy Unknow, X-COM: UFO Defense teve seu nome alterado logo que foi lançado nos territórios do Japão e dos EUA.

O jogo foi criado e idealizado por Julian Gollop (fundador da Mythos Games) e sua equipe, alem disso, foi distribuído pela MicroProse (conhecida por Transports Tycoon), no ano de 1994.

Esse jogo foi feito inicialmente desenvolvido para DOS e logo foi portado para o AMIGA e em 1995 teve sua versão para o Playstation.

Mapa do jogo

A trama principal de X-COM: UFO Defense é que o planeta terra esta sendo invadido por aliens, que inicialmente se mostram extremamente hostis e que chegam ao planeta com suas naves de diversos tipos e tamanhos, não deixando claro seus objetivos.

Você jogador encarna o líder da equipe X-COM, cujo objetivo é deter essa ameaça alienígena e manter a população segura e calma.

Logo de inicio no jogo, você tem a oportunidade de escolher o local onde sua base de operações vai ser construída (mais pra frente você poderá criar outras), isso engloba qualquer pais/continente do mundo, sendo que essa primeira base já vem com o básico para o combate aos aliens, constando 3 naves (1 de transporte e 2 de ataque), alem de uma equipe pequena de cientistas para as pesquisas das novas tecnologias, uma equipe de soldados para combate em terra, alem de armamentos e equipamentos terraqueos (que com o passar do tempo podem ser substituidos por tecnologia alien que vai ser pesquisada por seus cientistas).

Base do jogo

 

Para evoluir em X-COM, o jogador deve ficar atento aos comunicados de presença alienigena no espaço aéreo ou terrestre, sendo que logo de inicio percebe-se que existem 2 tipos de combates, um deles você precisa enviar sua nave de ataque de encontro ao OVNI (aka UFO) tendo a chance de derrubar o mesmo ou se for muito fraco (e você estiver com uma nove bastante evoluída) destrui-la no ar, caso derrube o OVNI, inicia-se o processo de envio da equipe de soldados na nave de transporte e ao chegar no ponto da queda, o jogo te surpreende com um menu onde você escolhe seus equipamentos e ao iniciar a fase, a surpresa é maior ainda quando inicia o combate, pois o jogo se mostra ser de estratégia por turnos num visual isométrico, retratando nos cenários, cidades com população, zonas rurais, florestas e até mesmo desertos, alem de ter interferência quando é dia e noite, tudo dependendo de qual lugar e horário você pousou. Existem também outras situaçõs onde enfrentamos os aliens, que são nas tomadas de cidades ou de invasões as bases do jogador.

X-com Ufo Defense Force

As raças enfrentadas passam desde os famigerados grays, passando por bestas enormes, maquinas de guerra, organismos roboticos e etc… sendo assustadora a variedade para um jogo tão antigo, falando em variedade, X-COM trás uma enorme gama de armas e armaduras, tanto para seus soldados, quanto para as naves, que alem de receberem esses upgrades podem ser trocadas por versões modificadas das naves dos aliens que com o tempo você adquiri e produz.

A cereja do bolo na minha opnião é a parte da evolução dos soldados, onde os mesmos mudam de patente de acordo com seu rendimento nas missões e alem disso seus atributos podem ser treinados durante as mesmas. Com o tempo e com as descobertas de novas tecnologias, os membros de sua equipe podem voar (com ajuda de uma armadura com propulsores) e até mesmo desenvolverem capacidades psiquicas, que podem ser usadas para dominar as mentes dos E.T.s ou assusta-los, tornando-os inofensivos!

[youtube=”http://www.youtube.com/watch?v=OyNFPeHnUaM”]

Com o tempo muitas surpresas são reveladas e você vai se apaixonando pelo jogo, sendo que o mesmo não possui um enredo muito forte, porem o desfecho vale a pena.

Seguindo para a parte técnica do jogo: Musicas nas fases são basicamente para dar o clima de medo e solidão, bem parecidas com os temas de Metroid neste quesito. Os gráficos do jogo são bastante datados, porem eu particularmente ainda jogo de vez em quando e esses não me incomodam.

A jogabilidade pode parecer inicialmente travada, mas com o tempo e com prática, você vira praticamente a Comandante Ripley e mata mais de mil com suas infinidades de armas.

Para aos que se interessaram, existe a opção de comprar o jogo pelo STEAM, sendo que la tem bundles com as continuações, eu preferi focar mais no primeiro pois foi o que eu mais joguei, joguei muito o X-COM 2: Terror from the Deep, mas como esse é basicamente uma versão do um com temática das profundezas dos mares, não achei que precisava entrar nesse review, mesmo assim, é um excelente jogo.

Clique aqui para comprar!

Compartilhe a Cidade

Comments

comments

  • Rapaz, joguei isso durante meu curso de informática básica. Word e Excel que nada, o lance era jogar junto com o pessoal! Há quanto tempo.
    Parabéns pelo texto!

  • quizumbado

    Esse foi um dos meus jogos preferidos do Play1!!! jogava de madrugada e quando parava de jogar ficava morrendo de medo a noite! Oo
    Para mim o que mais me agradava era a dificuldade do jogo. Não era simples de jogar e no começo você perdia muitas unidades e missões!
    Era muito bom ter esse desafio! ^^

  • VMetal

    Foi um dos primeiros jogos de pc da minha vida, junto com Ellifoot e Ultima 8… Ainda lembro do print do manual com as senhas para poder entrar no jogo…. só fui zerar quando comprei ele no Steam, vale a pena demais!

  • Polo

    melhor jogo de estrategia que ja joguei